Contos da Meia Noite: A Noite Fantasma

A Noite Fantasma


Essa historia que vou contar aconteceu comigo e meus dois primos .

Bom, nesse dia fui pra fazenda do meu avô, com minha vó e meus primos. Chegamos lá por volta das cinco da tarde. Como sempre meu primo foi assistir televisão na sala e eu,minha prima e minha vó ficamos na cozinha conversando. Ficamos lá até umas sete horas. Depois de jantarmos, fui pra sala junto com minha prima. Meia hora depois, minha vó foi também. Sempre antes de ir pra sala ela tranca a cozinha. Porém desta vez ela não trancou; ai que veio o problema: sempre que um de nós queria ir na cozinha depois das sete da noite, minha vó fala para não irmos sozinhos.

Minha prima como sempre quis que eu fosse com ela; fui até a cozinha com ela e enquanto ela bebia água, eu ouvia passos (o que era estranho, já que todos estavam na sala e meu avô no quarto dormindo). Perguntei: – “prima, você ouviu esses passos?” e ela disse: -” Não… não ouvi nada… você deve estar louco Felix.” Então alguma coisa bateu fortemente na porta de trás da cozinha .

A cozinha tinha duas portas uma que levava pra sala e outra que levava para os fundos. Depois que eu ouvi a batida, minha prima também ouviu. Nós saímos correndo da cozinha, entramos na sala, trancamos a porta e sentamos no sofá ; fomos assistir a um desenho porquê minha prima naquela época só se acalmava de algum susto se ela assistisse desenhos.

Depois da meia noite ela estava dormindo. Meu primo me chamou para assistir um filme de terror. Quando estava no meio do filme, algo bate de novo na porta e forte dessa vez! Não parava de bater! Até que minha prima acordou e com muito medo me abraçou forte. Disse à ela para ficar calma e meu primo apenas desligou a televisão e deitou para dormir como se nada estivesse acontecendo. Perguntei incrédulo: -” Você não está ouvindo essas batidas na porta?” Ele respondeu- ” Sim… mas deve ser o vento” Pensou assim até ouvir passos e algo bater na janela da sala. Nessa hora, todos nós ficamos assustados. Eu tremendo de medo cheguei perto da janela, tentei abri-la, mas meu medo não deixava. Começou a chover e dar fortes trovoadas; e como todos os meus parentes que estavam dormindo, as batidas na porta e os trovões e raios não acordavam eles. Certa hora, tive a idéia de ir no banheiro e olhar pela janela dele. O que ou quem estava lá fora parecia com uma mulher.

Emitia sons como de choro. De repente, ela olhou em minha direção e os olhos ficaram vermelhos. Sai correndo do banheiro. Meu primo como sempre tentando dar uma de corajoso, abriu a porta da sala. Quando voltei pra sala, só tinha visto a porta aberta e minha prima disse-me que o irmão dela estava lá fora. Quando sai na porta vi a mesma mulher e meu primo. A mulher veio na minha direção antes de meu primo chegar na sala. Enquanto a mulher vinha na minha direção percebi que tinha outro espirito com ela. Esse espirito não se movia. Apenas olhava pra mim com um olhar triste.

Fechei a porta da sala e tranquei. Ao me virar para ir sentar no sofá a mulher estava em minha frente. Nessa hora dei um grito de susto e desmaiei. Tive um sonho com essa mulher; ela dizia que havia mais espíritos naquela fazenda além dela.Disse também que deveríamos ir embora no outro dia antes das oito da noite, se não todos nós morreríamos. Quando acordei, já eram umas nove da manhã. Contei tudo para minha vó e ela disse que há 60 anos, uma família inteira tinha morrido na fazenda vizinha.

A mulher queria me proteger com aquele aviso que deu no meu sonho e sobre a chuva os raios e trovões minha vó disse que não tinha chovido, nem dado raios ou trovoes e ela disse que eu deveria estar louco. Meu primo e minha Prima disseram o mesmo que eles não ouviram nenhum raio,trovão ou som de chuva. Depois disso,minha vó achou melhor irmos embora. Quando entrei no carro, vi o espirito da mulher de novo e desta vez estava sorrindo. Não me assustei porquê eu estava pensando na chuva que podia jurar que tinha visto e ouvido naquela noite assombrada.

Fonte: Uchihabakura
Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org

Contos da Meia Noite - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página