Contos da Meia Noite: Rosa da Morte

Rosa da Morte


Conta-se que uma moça estava muito doente e teve que ser internada no hospital da cidade de Currais Novos, região do Seridó. Desenganada pelos médicos, a família não queria que a moça soubesse que iria morrer. Todos seus amigos já sabiam. Menos ela.

E para todo mundo que ela perguntava se ia morrer, a afirmação era negada.

Depois de muito receber visitas, ela pediu durante uma oração que lhe enviassem uma flor como sinal. Queria rosa branca se fosse voltar para casa, rosa amarela se fosse ficar mais um tempo no hospital e estivesse em estado grave, e rosa vermelha se estivesse próxima sua morte.

Certa hora bate a porta de seu quarto uma mulher e entrega a mãe da moça uma rosa vermelha bem murcha e sem vida. A mulher se identifica como "mãe da Berenice". Nesse meio de tempo, a moça que estava dormindo acordou, e a mãe avisou pra ela que a mulher havia deixado uma rosa, sem saber do pedido da filha feito em oração.

Ela ficou com uma cara de espanto quando foi informada pela mãe quem havia trazido a rosa era a mãe da Berenice. A única coisa que a moça conseguiu responder era que a mãe da Berenice estava morta há mais de 13 anos.

A moça morreu naquela mesma noite. No hospital ninguém viu a tal mulher entrando ou saindo.

Fonte: João A. Farias, para OpenBrasil.org
Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org

Contos da Meia Noite - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página