Contos da Meia Noite: O Poço da Maldição

O Poço da Maldição


O povoamento da região do Seridó começou logo após o fim da Guerra dos Bárbaros em 1697, na área se instalaram as primeiras fazendas de criação de gado.

Em uma fazenda de criação em Vila Nova do Príncipe (hoje Caicó RN), existia uma fazenda onde moravam muitos trabalhadores rurais, no qual entre as moças existia uma bela jovem de nome Maria Alva. Essa jovem era filha de um dos moradores mais antigos da fazenda.

Maria Alva que era de uma família muito humilde sofria assédios diários de Antônio, dono da fazenda onde seus pais trabalhavam sem que os mesmos não pudessem fazer nada, porque naquela época quem tinha dinheiro e poder era a lei, mas ela sempre conseguia ficar longe de seus braços. Cansado de tantas recusas, Antônio arquitetou um plano sórdido para que Maria Alva se entregasse a ele.

Certo dia, Antônio entregou aos cuidados de Maria Alva uma sacola com 9 moedas de ouro, dizendo que havia 10 moedas para que as guardasse por um tempo enquanto ia em uma viagem.

Passado alguns dias, Antônio chegou e pediu que a jovem devolvesse as "10" moedas.
A donzela, ao constatar que só havia 9 moedas, ficou desesperada e contou as moedas várias vezes para ver se não havia algum engano. Antônio se mostrou furioso com o "sumiço" de uma de suas moedas, mas disse que se ela o aceitasse como marido, o erro seria esquecido.

Maria Alva pensou a respeito e decidiu que seria melhor morrer do que casar com Antônio.
Então Antônio ficou furioso com tal repúdio, agarrou a jovem e a jogou no poço de sua propriedade. Maria Alva morreu na hora.
Depois do ocorrido, todas as noites, o espectro de Maria Alva aparecia no poço com ar de tristeza, pegava a sacola de moedas e as contava... quando chegava até a nona moeda, o espectro suspirava de tristeza e desaparecia.

Antônio assistia aquela melancólica cena todas as noites, e torturado pelo remorso, foi até o poço e jogou uma moeda então o fantasma deu um suspiro de alívio e desapareceu.

Na noite seguinte, Antônio foi ao poço novamente, mas dessa vez não levou a moeda que completaria a décima da maldição, a alma da Maria Alva agarrou pela mão direita e o levou até o fundo do poço, com a queda ele morreu na hora.

O poço ficou abandonado no meio da mata, todos tem medo de passar por lá...

Dizem que até hoje se alguém passar por lá à noite, verá uma linda jovem contando suas moedas, se você não tiver uma para completar a décima, certamente cairá na maldição. Maria Alva lhe puxará até o fundo do poço escuro e frio, sua alma ficará presa eternamente.

Fonte: Mundica Rêgo, para OpenBrasil.org
Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org

Contos da Meia Noite - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página